CONTAS EM DIA

CONTAS EM DIA

outubro 2016 Atualizado em 29/06/2017

Lavínia Martins

04/10/2016 10h47 - Atualizado em 29/06/2017 17h32

Como checar o lucro da empresa

No último post, falamos sobre controle financeiro e as formas como ele pode ser feito. Além dos tipos que conversamos, existe um outro tipo de controle financeiro empresarial chamado de DRE, que é o Demonstrativo de Resultado do Exercício, que organiza os dados financeiros da empresa de uma forma diferente do fluxo de caixa e pode ser preparado mensalmente, ou a cada 3 meses, ou 6 meses, ou 1 vez por ano. Este é o relatório de controle financeiro que mostra se a empresa está dando lucro ou prejuízo.

Veja abaixo um resumo sobre como preparar este controle e checar se a sua empresa está sendo capaz de gerar lucro ou se ela está dando prejuízo:

Demonstrativo do Resultado do Exercício Simplificado (DRE por Absorção)

Receita Bruta de Vendas (valor total da receita de vendas)

(-) Deduções sobre as Vendas (comissões, propaganda, etc)

(-) Impostos sobre Vendas (ICMS / PIS / COFINS / ISS / Simples)

(=) Receita Líquida

(-) Custo dos produtos vendidos

(=) Lucro Bruto

(-) Despesas Operacionais e de Manutenção da empresa (salário, holerite, aluguel, água, luz, telefone, contador...)

(=) Lucro Operacional

(+) Receitas não operacionais (receitas financeiras (rendimento de aplicação financeira), venda de móveis, imóveis, equipamentos, etc )

(-) Despesas não operacionais (despesas financeiras (tarifas bancárias), etc)

(=) LAIR – Lucro antes do Imposto de Renda

(-) IR – Imposto de Renda da empresa

(=) Lucro Líquido ou Prejuízo da Empresa

Se o valor que você encontrar depois de pagar todas as contas da empresa for positivo, ok, ela está sim dando lucro, mas se este valor for negativo, ela está dando prejuízo, isso significa que você está tendo que colocar dinheiro para sustentar a empresa porque ela ainda não é capaz de se sustentar sozinha.

Esse dinheiro extra você pode estar pegando emprestado de alguém, como por exemplo, usando o cheque-especial, ou fazendo um empréstimo bancário, ou colocando dinheiro do próprio bolso que você ganhou em outro trabalho.

Quando o empreendedor começa a empresa, normalmente ele usa duas formas para financiar as atividades dela: dinheiro próprio ou dinheiro emprestado. Para a empresa manter as suas atividades ao longo do tempo ela precisa ser capaz de gerar dinheiro sozinha e pagar todas as suas contas, inclusive o empréstimo usado para o financiamento inicial das suas atividades, ou o dinheiro próprio usado para este mesmo objetivo.

Uma outra maneira de fazer esse cálculo é usando o DRE por Custeio Variável:

Demonstrativo do Resultado do Exercício pelo Custeio Variável

Receita Bruta (quantidade vendida x preço de venda)

(-) Deduções sobre as Vendas (comissões, impostos, etc)

(=) Receita Líquida

(-) Custos e Despesas Variáveis

(=) Margem de Contribuição

(-) Custos e Despesas Fixas

(=) Lucro Operacional

(-) IR – Imposto de Renda da empresa

(=) Lucro Líquido ou Prejuízo

Este formato considera de forma separada os custos e despesas variáveis dos fixos, e mostra a margem de contribuição, que é o número que mostra se as vendas dos produtos da empresa estão sendo capazes de cobrir pelo menos os seus custos de manutenção. Quando a margem de contribuição é igual aos custos e despesas fixos, a empresa está no ponto de equilíbrio, que quer dizer que ela está sendo capaz de gerar dinheiro para se sustentar, embora ainda não esteja dando lucro.

O objetivo principal de uma empresa não é apenas dar lucro, mas sim ser capaz de se sustentar ao longo do tempo, para garantir a sua própria sobrevivência e geração de renda para o empreendedor e seus funcionários. E é através do controle financeiro que você consegue checar isso e perceber se o preço que você está cobrando pelos seus produtos e serviços é realmente bom para a sua empresa, ou se ele precisa de ajuste, e como estão se comportando os custos da empresa.

O DRE por absorção não faz relação entre produtos vendidos e estoque, já no DRE pelo Custeio Variável é possível verificar o impacto direto dos custos de produção no resultado da empresa. O estoque pode impactar o lucro, já que significa dinheiro parado em produtos, e o empreendedor deve decidir sobre a quantidade de produtos que ele deve manter em estoque em função da sua expectativa de vendas futuras, para não comprometer o seu lucro. E também deve controlar os custos de produção para conseguir aumentar a sua margem de contribuição e consequentemente o seu lucro.

Vamos falar mais sobre isso nas próximas semanas, fiquem de olho! ;-)

Até a próxima!

Abraço,

Lavínia

; ;
Nossos Parceiros

Sede CAIXA CRESCER: SBS Quadra 02 Bloco J Edifício Carlton Sala 401 e Sobreloja 05, Asa Sul – Brasília/DF - CEP: 70.070-120